Doença Misteriosa coloca São João em alerta

A rede municipal de Saúde de São João está em estado de alerta. Qualquer paciente que chega às unidade de saúde com os mesmos sintomas dos irmãos André Brisolari, de 33 anos, e Alessandra Brisolari, 39, mortos no dia 9 de setembro, entra em monitoramento. Caso não haja melhora em um prazo de sete dias, o caso é acompanhado por internação.

São João da Mata - BA

São João da Mata – BA

Por conta do alerta, uma mulher de 28 anos, cuja identidade não foi revelada, está internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da Santa Casa de São João. Não foi informado há quanto tempo a paciente está na unidade.

De acordo com a assessoria de imprensa da Pasta, a mulher tem febre, manchas pelo corpo, tosse, dor de garganta e dificuldades respiratórias, quadro semelhante ao dos irmãos.

Ela, no entanto, tem quadro estável, está consciente e respira sem a ajuda de aparelhos, mas ficará em observação no hospital.

Laudo

A doença que matou os irmãos André e Alessandra Brisolari ainda não foi diagnosticada, o que reforça a preocupação pela possibilidade de novos casos. Mas o laudo que apontará a causa da morte é aguardado para até a próxima sexta-feira.

O corpo de André foi levado para o Serviço de Verificação de Óbito do Hospital Estadual de Américo Brasiliense (Heab) no dia 9 de setembro para necrópsia. As amostras dos órgãos foram encaminhadas ao Instituto Adolpho Lutz, em São Paulo.

Hoje, entre as suspeitas levantadas estão meningite, Gripe Suína e intoxicação alimentar.

Mas, inicialmente, foi divulgado que a morte havia sido causada por dengue ou meningite, por isso a Vigilância Epidemiológica foi até a casa da vítima e fez o bloqueio de criadouros do mosquito Aedes aegypti. Também foram monitoradas pessoas que conviviam com os irmãos. Mas a suspeita foi descartada durante uma coletiva de imprensa um dia depois das mortes, assim como Leptospirose e Hantavírus.

Sintomas duraram mais de 15 dias

A febre e a gripe que acometeram os irmãos André e Alessandra Brisolari perduraram mais de 15 dias antes da internação na Santa Casa de São João.

Professor do Sesi São João e aluno de Doutorado da Universidade de São Paulo (USP), André morreu no dia 8 pela manhã, e Alessandra Brisolari, funcionária da Secretaria Municipal de Saúde, morreu na tarde do mesmo dia, também na Santa Casa.